para o coração que cansou de “Igreja”

cansei de igrejaMuitos amigos meus “cansaram” de ir para igreja, se cansaram do sistema, da liturgia e da hipocrisia que vêem por ai. Falam para mim que continuam amando a Jesus e que lêem a Bíblia em casa, mas que não querem mais se meter com a instituição “Igreja.” Eu tenho certeza que eles ainda amam a Jesus, que vivem de maneira santa diante de Deus e que fazem boas obras onde estão.

Não estou aqui para criticar ou julgar ninguém, mas ultimamente tenho pensado sobre esse “movimento dos sem-igreja” e por um bom tempo achei que eles tinham suas razões e justificativas, e quem era eu para discordar? Cresci na igreja, já vi os piores ângulos imagináveis, já vi muita hipocrisia de perto, mas continuamente ouvia uma voz que falava: “Não é a respeito dos outros, mas sim a respeito do que existe entre Eu e você.” Essa voz me manteve até hoje, 31 anos depois, ainda freqüentando reuniões e ajuntamentos cristãos.

Ultimamente vejo que o problema nunca foi “não ir para igreja”- mas sim se conformar com a situação atual da Noiva de Jesus. Tem pessoas que vão para igreja e estão conformados, e tem aqueles que desistiram da Noiva, não querem ser parte da realidade bruta e feia em que ela se encontra, assim se conformando também.

Por muito tempo confesso que morria de vergonha de ser classificada “evangélica” por tantos absurdos que ouvia e via de pessoas que se diziam “crentes”. Era extremamente difícil falar que fazia parte de uma Noiva tão despedaçada e bitolada. Até que um dia comecei a ver que a Igreja era sim, uma lugar de pessoas extremamente problemáticas, mas que também era parte de mim.

Aprendi que amar o inimigo lá fora é fácil, mas perdoar o “irmão” crente do lado era um parto de mais de 96 horas. Aprendi que quando Jesus falou para carregar minha cruz, não era só sofrer a perseguição fora da igreja, mas dentro dela mesmo. Aprendi que perdoar alguém que não conhece a Jesus é leve, mas perdoar aquele que você estima estar uma posição de “unção” é muito mais pesado. Aprendi na raça e com muito suor, que fazer parte da Noiva me fazia ser mais como Jesus.

Não sou contra quem não vai para Igreja, nem aquele que é engolido pelo sistema religioso, mas sou a favor de pagar o preço para ver mudanças, para lutar por uma Noiva saudável e unida. Minha igreja local é longe de perfeita, mas nós (meus amigos e companheiros) juntos tentamos, mesmo errando inúmeras vezes, viver um cristianismo verdadeiro. Cristianismo não é para os fracos, é para aqueles que conseguem lutar pela verdade e o amor, mesmo que estejam diante de tudo que discordam, mas que ainda têm a esperança que um dia seremos a Noiva Imaculada.

Você sempre escolherá o preço que vai pagar.
O que muda é o resultado desse preço.

Eu escolho o maior preço, não porque sou melhor que ninguém, mas porque eu ainda não parei de sonhar e lutar, e não pararei até o fim.

-Z.L.

foto por Sue Bujam

zoelilly
21 Comments
  • Zoe Esse post é uma confirmação de Deus para mim. Essa semana Deus falou muito fortemente sobre a relação das pessoas com a igreja. Estou extremamente feliz.

    26 de fevereiro de 2015 at 16:17
  • Zoe, você fez uma ótima colocação! Esta semana mesmo estava conversando com uma amiga que aderiu aos “sem igreja”. Ela me disse que hoje se sente mais próxima de Deus do que antes. Eu não à critico. Como poderia? Respeito sua decisão. Todavia, sei que andar em unidade com o corpo de Cristo é importante. Confesso que ando muito decepcionada com algumas coisas que tenho visto em minha igreja local. Tenho esperança de que um dia a igreja, como uma noiva e não como uma instituição, se permita ser restaurada.

    26 de fevereiro de 2015 at 21:25
    • Obrigada!! Amei que foi traduzido! ❤️❤️

      27 de fevereiro de 2015 at 15:02
      • Carla Carneiro de Sousa
        Responder

        Amei muito esclarecedor.

        8 de abril de 2015 at 11:29
  • é exatamente por isso que existimos: Igreja no cinema… Igreja pra sempre é alguém, nunca um lugar!
    http://www.facebook.com/igrejanocinema
    http://www.igrejanocinema.com

    28 de fevereiro de 2015 at 01:47
  • Esse texto é lindo. É uma doce análise da temática dos desigrejados. Bênção! Dia 06/06/2015, em Jacarépaguá, Rio de Janeiro, estaremos realizando a Consulta 99+1, sobre os desigrejados. Participe conosco! http://www.intercessor.com.br.

    28 de fevereiro de 2015 at 12:41
  • Ramon
    Responder

    Templo centrismo, isso sim é o que tem afastado as pessoas da igreja, o texto é carregado de romantismo e tal, mas a verdade é bem mais complexa do que as observações feitas no texto, quando se fala os sem igreja parece que é algo como se alguém cansou de ver os erros da igreja (templo) e passou a achar melhor ficar em casa, mas não é bem assim, existe uma diferença enorme entre conformismo e o que realmente faz uma pessoa deixar de fraquentar templos, eu não nasci cristão, fui alcançado, ouvi sobre a VERDADE e eu a aceitei, mas tudo aquilo contido na VERDADE vai contra o que vejo no templo, existem pessoas ótimas onde eu frequento, faz 12 anos, e existem gente que eu não consigo entender, mas enfim, eu acho que pagar preço por ou seja lá como queiramos chamar, pela reforma da reforma protestante é o que todos não querem mais, o preço que eu pelo menos quero pagar é “desmundializar” a mim mesmo e pagar o preço da renuncia em favor do meu próximo, porque creio que a igreja somos nós, não gosto mais da ideia de templos e de reuniões de pessoas que se chamam de “irmãos” e nem se conhece, IRMÃO virou vulgo de todos que não sabemos o nome, nem sei se consegui dizer o que eu estou querendo dizer, é que são tantas coisas para serem ditas que não caberiam nesse texo haha
    Bjo, graça e paz.

    1 de março de 2015 at 15:16
  • Zoe sua fala é perfeita, pois infelizmente existem milhares de desigrejados que perderam a esperança em frequentar ou fazer parte de uma igreja/instituição. Você não só mostra o lado falho da instituição, mas apresenta soluções que fortalecem os que ainda tem esperança de algum dia ver uma igreja saudável e pura!
    Deus continue te abençoando

    Gostaria de permissão para compartilhar seu texto!

    Soli Deo Glori!

    2 de março de 2015 at 10:07
  • Eu me afastei da igreja, da instituição, nunca me afastei de Deus. É muito bom ter os amigos cristãos por perto, a comunidade da fé. Mas, quando a comunidade da fé não dá mais valor a fé, a Palavra de Deus, o conflito e os laços são desfeitos.
    É preciso ser forte, abençoados são os que conseguem se manter dentro das igrejas, em meio as incoerentes situações e abençoados os que tiveram coragem de desvincular das igrejas sem perder suas essências.
    Se não houvesse essas saídas das igrejas teríamos muitas pessoas doentes, espiritualmente e fisicamente. É muito desgastante ficar em lugar que oprimi, essa não deveria ser a imagem de uma pessoa dentro da igreja, mas, as vezes, é!
    O que vale é que existem pessoas, como você, pra fazer a ponte. Pra ser sincera e compartilhar que as dificuldades e pararmos de rotular as atitudes, e focarmos nos atos. Atos que ninguém os fazem com perfeição, nem que está dentro da igreja e nem os que estão fora, somente Deus. Ele está no comando, mesmo quando as coisas parecem não estar, não se cai um fio que não seja a vontade Dele.
    Que Hebreus 12:14 seja vívido nas nossas vidas… “Esforçai-vos para viver em paz com todas as pessoas e em santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor.”

    9 de março de 2015 at 12:06
  • Luiza Passos
    Responder

    Nossa Zoe, obrigada pelo post! Acho que esse também era um dos conflitos que venho passando… Acho interessante a forma como vc expressa seus conflitos, e como os superou! Acho que estou na fase de aprender a superá-los como você superou… Perdoar a Noiva, não desistir dela…

    12 de março de 2015 at 12:38
  • Charles
    Responder

    A igreja é sim recheada de hipócritas, imperfeitos enfim, pecadores… Porque foi justamente para salvar pecadores que Jesus veio. Se a igreja está cheia de pessoas problemáticas, perfeito: todas elas estão justamente onde precisam, com Jesus Cristo, aquele que os salva sem olhar para a aparência!

    2 de abril de 2015 at 20:59
  • Longânimo, é um característica de Deus e esta, as pessoas não praticam! Não conseguem alcançar uma compreensão e muitas vezes julgam as pessoas com a mesma velocidade que se amadureceu, pessoas a qual mesmo dentro da igreja erram…Quando na verdade muitos pedem pra sair e saem das igrejas por que não suporta serem afiadas (Pv 27.17 Assim como o ferro afia o ferro, o homem afia o seu companheiro.). Já conheci muitas pessoas que era grossa, por que na verdade dentro delas era e sempre foi uma manteiga, e sua fragilidade o assustava e tal atitude era o que fazia acreditar que estaria segura. Quem fere, muito já foi ferido e esquecemos que os brutos também amam e criamos expectativas em Homens, que tenham a mesma educação que a gente, a mesma ideia, a mesma noção, o mesmo pensar, falar, tudo! Sair da igreja é mais fácil do que praticar tolerância e paciência. Falei e escrevi tudo isso, por que um dia o fiz! Hoje sou feliz em ter voltado nos braços do Pai e para uma família imperfeita, mas perseverante em amar e melhorar!

    13 de maio de 2015 at 04:00
  • Ana Cristina
    Responder

    Muito bom esse post. e acredito que Deus te usou Zoe, para exortar em amor a muita gente inclusive eu , que estou mega decepcionada porém não desistente.

    26 de maio de 2015 at 22:43
  • Republicou isso em littlesecrets.

    4 de julho de 2015 at 14:58
  • scarlettkell
    Responder

    A autora se coloca numa posição de compreensão e tolerância para com os sem-igreja, mas de uma maneira ou outra, novamente a Noiva aparece como sinônimo de “instituição cristã”. Somente o Senhor Jesus sabe onde ele vai encontrar sua noiva, com certeza bem melhor dos que nós, quer sejamos “com igreja” ou “sem igreja”.

    15 de janeiro de 2016 at 20:41
  • Republicou isso em Projeto Bendocéue comentado:
    Não pare de sonhar e lutar pela mudança de vidas.

    6 de maio de 2016 at 15:53
  • Atos
    17:24 O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens;

    7 de junho de 2016 at 03:24
  • Eliane dos Anjos
    Responder

    O templo é o meu coração. Chega de compactuar com imundícies!

    18 de junho de 2016 at 20:40

Post a Comment